Entrevista a Rebeca Saavedra

30-07-2019 14:33

Rebeca Saavedra recorreu à infância para explicar a razão de optar pela profissão de assistente de bordo, apesar de ter uma licenciatura. Na entrevista também se pode perceber porque aprecia a turbulência que existe durante algumas viagens de avião.

 

"Gosto de cuidar das pessoas"

 

Como nasceu o gosto pela profissão?

Em pequena tinha um tio que fazia modelismo e nos aeródromos costumava brincar às assistentes de bordo. Apesar de ter tirado o curso em turismo, a minha primeira opção foi sempre trabalhar nesta área porque gosto de cuidar das pessoas.

Qual é o aspecto que a fascina mais?

No início, o que me fascinou mais foi a falta de rotina. Neste momento, passa por dar continuidade à profissão.

Quais são as vantagens e desvantagens?

Normalmente é possível tirar férias em alturas pouco habituais. No plano negativo, a incerteza relativamente ao local de trabalho porque prejudica a vida familiar, além de gerar algum cansaço.

Quais são as características para ser assistente de bordo?

Ter muita atenção com as pessoas. No avião ainda existe algum receio e medo que se transmite de várias formas, pelo que, é necessário saber lidar com todas as situações.

Tem medo de andar de avião?

Não tenho qualquer receio, e até gosto da turbulência porque costuma animar as viagens mais chatas. Apesar de haver algum risco, considero que se trata de um meio de transporte bastante seguro.

Qual foi o sítio que mais gostou de visitar?

Senti bastante curiosidade por ter estado em Auschwitz.